HOJE É...

Tempo deste blog no ar

Brasil, vista do espaço

Brasil, vista do espaço
Foto da Nasa

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Final de semana em Aracaju e A Caixa Mágica

BREVE RESUMO:

Como começar a falar sobre o que foi aquele show no último final de semana de setembro? Não tenho as palavras certas de como poderei descrever detalhadamente. Acho que só enteder, quando virem o DVD.

Bom, toda esta história de participar de um DVD de Netinho, nasceu desde o dia 1º de dezembro de 2007, durante o show de Netinho, na cidade de Timbaúba/PE. Não pensei duas vezes: "Pra este eu vou...", sem saber das distâncias que separam Carpina de Porto Seguro/BA (Arraial D'ajuda), onde foi a idéia inicial, dentro do complexo "Ilha dos Aquários".

Durante os primeiros meses de 2008, começamos à providênciar algumas idéias, até o mês de julho, procurar hotéis, passagens aéreas, etc., que era a previsão da gravação do tal DVD. Mas só que naquela mesma época, mesmo com o CD "Minha Praia" já pronto, o mesmo ainda não tinha sido lançado, e a gente se perguntava: "Como Netinho vai gravar um DVD baseado no CD 'Minha Praia' se ainda não foi lançado?".

Os meses foram se passando e o assunto "DVD de Netinho em Porto Seguro", foi ficando esquecido. Vinham uns possíveis meses, e surgiam sempre adiações.

Uma das melhores decisões tomadas foi de terem transferido esta gravação para Aracaju. Pelo menos ficou mais acessível pra mim, apesar de ter ficado mais próximo.

Desde o início deste ano de 2009, a única coisa que mais focalizava era a gravação deste DVD, pois nos anteriores, nunca estive presente, nem mesmo nos CD's ao vivos promocionais.


HOSPEDAGEM:
Quando foi divulgado a data para o início das vendas dos ingressos, eu queria ter ido pesoalmente à Aracaju, para não correr o risco dos mesmos se esgotarem. Esta foi a minha agonia maior: o de comprar o ingresso VIP. Já a questão do hotel foi até mais fácil. Mesmo não conseguindo ter ficado no hotel onde fiquei, havia inúmeras opções, mas como já haviam me dito que o hotel escolhido, por recomendação de um ex-integrante da banda de Netinho, o hotel escolhido acabou sendo o Jatobá.

Começou assim: Me ligaram, me pedindo para ligar pra uma agência de viagens lá de Salvador, que eu era do grupo de fulano, pra ter um desconto, etc, etc, etc... Tinha que fazer o depósito bancário para o dia seguinte à esta ligação e blábláblá...

Foi até cogitado um aluguel de uma VAN para Aracaju, o que já me preocupou.

Bom, dito o nome do hotel, fui procurar no site. Achei lá, o telefone, e minha mãe entrou em contato diretamente com o gerente deste hotel. Feito a reserva para o dia 26 à 27 de setembro, fizemos um depósito de uma quantia e ficou assim.

Não liguei pra agência alguma, e fui de carro particular com meu pai.

Só que aconteceu o seguinte. Relatei num post aqui sobre uma possível mudança no dia da minha viagem. Ao invés de ir no dia 26, um amigo nosso, soube que estaríamos no mesmo final de semana que ele estaria lá também. Nos ofereceu até a gasolina para ir deixar ele lá, e com isso, a gente iria até o hotel, tentar conseguir acresentar mais uma diária.

Bom, este nosso amigo acabou indo na 5ª feira mesmo, e como já estava assanhado com a idéia de ir no dia anterior, acabei mantendo isso. Mas antes de continuar a iagem, ficamos um pouquinho na casa do S. Teco e D. Marli, aproveitei para pegar um sol e uma piscina e almoçar. quase que desisto, mas quando deu 2h da tarde, decidimos seguir para Aracaju, chagenso as 18:30, lá no hotel Jatobá.

E por sorte, nem descemos do carro direito e quem chega no táxi atrás do nosso carro, foi D. Vânia. Parece que ela vinha seguindo a gente.

Depois de tudo acomodado, D. Vânia nos levou até o Hotel Parque dos Coqueiros, onde rolava os ensaios finais da gravação. Mas fui até lá para pegar as camisas das pessoas que só viriam no sábado, além da minha.

A princípio, iria ficar em Aracaju somente no sábado (chegando as 12h) e domingo (saindo as 12h), mas acabei chegando na noite de 6ª-feira e saindo na manhã de 2ª.

Pelo menos, consegui um desconto lá no hotel e ficamos num andar mais vago que dos outros.

Infelizmente, não podemos aproveitar a piscina, pois a mesma estava interditada.


ESPERA:

Como tinha antecipado a viagem para 6ª-feira, vindo antes do restante da "minha turma", eu fiquei aguardadno alguma comunicação de alguns deles, para me avisar se já estavam chegando em Aracaju. Mas cansado de esperar, fui dá uma caminhada até o Parque dos Coqueiros. Não entrei, mas fui dá uma olhada na entrada principal. Coisa rápida... um bate e volta.

Cheguei até escutar a voz de Jorge Vercillo cantando "Himalaia", achando que o próprio estava pessoalmente no palco, passando o som. Era até umas 11:00h.

Esta caminhada era pra poder me enterter da espera da chegada das outras pessoas, mas ao retornar ao Jatobá, eles ainda não haviam chegado.

E durante a caminhada, acabei pegando um pouco de sol, e como eu estava de boné virado pra trás "a lá Netinho", ao me deparar com a marca na testa no espelho, tomei foi um susto.

Após um banho, meu pai e eu fomos almoçar. Ao entrar no quarto, escutei uma buzina familiar: Hino do Sport. Eram eles que tinham chegado.


MAL ENTENDIDOS E FALTA DE COMUNICAÇÃO.

Recebi algumas reclamações de que houve mal entendidos neste trecho que estou reavaliando e substituindo minhas palavras.

Aceito as reclamações e peço-lhes desculpas por ter sido leviano. Mas de fato, houve sim mal entendidos, que foram acomentidos por falta de comunicação entre os envolvidos.

Como havia dito anteriormente, julguei algumas pessoas de terem ido ao HPC antes de irem ao Jatobá. Mas realmente pra mim, dava à entender que tinha sido, por conta de já ver os carros já na rua que passa ao fundo do hotel, onde seriam estacionados, depois de ouvir o hino do Sport. Esta rua vem direto do HPC. Ao confirmar com um "até que enfim..." ao ver o Eduardo, desci até a recepção para recepcioná-los. Depois de todos acomodados em seus quartos, cada um foi descansar da viagem.

Na hora, até pensei: "Como vindo por trás? Desceram todos pelos fundos?" Não, tinham só feito o retorno pela rua. Eram mais ou menos umas 13h.

Algumas pessoas do grupo, foram sim lá ao HPC, depois e não antes. Fiz uma confusão nas informações, mas ouvindo as conversas, deu-me a entender que foram lá no hotel, e achei que eu poderia ter escutado no momento em que estavam preenchendo as fichas.

Sobre o fato de ninguém ter pedido para antecipar pegar as camisas, a decisão de levar todos os ingressos, foi de última hora. Só ia levar o meu, mas como o posto de troca seria o mesmo para todos, nada mais justo de ajudar os amigos que além de chegarem cansados da viagem e ainda ter que ir lá no hotel, pegar os abadás, retornar ao hotel e ainda fazer as adaptaçõs nelas, seria uma correria. Não me custava nada.

Em nenhum momento, contestei as possíveis paradas realizadas durante a viagem. Mas não ter entrado em momento algum, em contato comigo, nem que seje por torpedo, pra eu ter uma noção se já estavam à caminho, foi uma situação que me deixou chateado.

As 9:20 de sábado, eu passei um torpedo para um Oi de Pernambuco. Só que não tive respostas. Eu era pra ter repetidos a mesma mensagen para os outros números, sem saber se os mesmos ainda estão ativos.


TRAJETÓRIA, HOTEL JATOBÁ ao PARQUE DOS COQUEIROS:

Entre o hotel de onde estava, até o hotel onde seria o show, a distãncia é de 1km. Dá tranquilamente de ir a pé. E fomos.

Só que no meio do caminho, ouvi uma reclamação: "Já imagino isso na volta".

Melhor andar tudo isso, deixando o carro guardado na garagem do hotel, do que ter ido de carro e correr o risco de vê-lo arrombado, principalmente quando o carro é alugado ou recém-emplacado.

Só por causa desta reclamação que ouvi no sábado, no show do dia seguinte, eu simplesmente peguei o que tinha que levar, como os 3kg de alimentos que comprei para doar (R$: 6,00, ao todo), e fui embora para o HPC, sem esperar por ninguém. Até porque, como todos já haviam fechado a conta do hotel, ficaram com mais facilidade para irem de carro.

Podem me ver assim, magrinho, mas quando é pra andar, levo a sério e ando mesmo. Agora, quem estiver comigo, já fiquem sabendo que, ando mesmo. Faz até bem ao coração e queima as calorias.



A CAIXA MÁGICA:

Assim que chegamos, fomos informados que, o show/gravação do dia 27, dito como para convidados e imprensa, seria um show beneficente. Ao entrar, recebemos uma espécie de cartão, e com ele, nos digiríamos - eu me dirigi logo - até um guichê exclusivo, fomos registrado, e recebemos uma espécie de vale-ingresso, que com mais 3 kg de alimentos não perecivéis mais o abadá do show de sábado, daria direito a participar do 2º dia da gravação.

Enquanto estava na fila para fazer esta troca, eu fui chamado, mas depois fui saber o que se tratava. Primeiro fui garantir mais um dia na gravação.

Após resolvido a questão da doação, me dirigi até a área vip, pensando que a turma estava lá. Não, a turma, pelo menos parte dela, estava dentro do "N".

Dentro do "N", como assim?

Além do palco, havia uma passarela em forma de "N", que percorria entre o público. E nele, havia uma espaço que foi preenchido com algumas pessoas. Ao me verem, me chamaram e fui correndo, mas ao entrar, percebi que não valia muito a pena, pois não ia ver nada que se passasse no palco. Como Marli estava preocupada com Teco e Adriana, ela decidiu sair e fiz o mesmo.

Outra desvantagem para quem ficou dentro do "N", era que não poderia sair, nem pra ir fazer um pipi ou coisa pior, caso fosse preciso fazer uma visita ao banheiro.

Acabei ficando no meio do "N", nos dois dias de show, mas do lado de fora.

Como tudo que é ao vivo, pode acontecer, a porta da Caixa Mágica, que teve todo o tempo do mundo para ficar emperrada, inventou de emperrar na hora errada. Mas as falhas ocorridas durante o show, só será melhor bem entendida para quem esteve presente nesta gravação.

Na boa, não é ficar na torcida para que tudo dê errado, mas eu acho muito engraçado. Apesar do estresse, porque acaba atrasando tudo, o público vibra quando tudo dá certo no final. Foi o que aconteceu quando, finalmente, no segundo dia, a porta da esperança da Caixa Mágica foi aberta sem problemas.

E o público não perdoa falhas. Letras erradas ou esquecidas por Netinho, tambe´m era motivo para gritos de guerra: "Dever de casa. Dever de casa..." ou "ouvi mil vezes.." ou "tá reprovado, tá reprovado"... O público, realmente fez o seu dever de casa.

Gente, coreografias, figurinos e o tema circense, estavam maravilhosamente lindos.

Muitas músicas tiveram que ser repetidas. Até apareceu uma barata voadora, durante a execução da música "Himalaia", no segundo dia, e ficou lá, descansando na parede. Queira que tivesse vindo voando pra cima do público, só pra ver a reação que seria.

Mas só que durante esta mesma música, na noite do sábado, uma moça havia desmaiado dentro daquele espaço fechado do "N".

Agora vou comentar algo sobre esta música de Jorge Vercillo: estava sim, previsto uma participação dele nos dois dias de show. Só que pra nós esperávamos que o próprio estaria na gravação. De fato, ele está sim, participando deste DVD de Netinho, mas sua participação acabou ficando através de imagem sendo reproduzida na tela ao fundo do palco.

Eu ouvi muita gente reclamando que não gostou, mas não tinha como trazer o cantor lá dos shows na Argentina até Aracaju. Então, foi feito o melhor possível.

Já na música "Impossível", com a participação do cantor Tomate, ex-rapazolla, eu não acredito que que parei de gravar no exato momento que ele caiu no palco. Tudo por causa da bandeira que estava na minha frente, eu decidi abortar a minha gravação. Espero que esta queda esteje nas falhas no DVD, porque esta imagem não pode ser esquecida.

D'Black, cantou a música "Pedindo pra Voltar", uma das 10 inéditas. Alinne Rosa, cantou "A Vida é Festa", e Saulo Fernandes, a música "Paixão Não Tem Cura".

"Beija-me" e "Crença", estarão de volta neste DVD. Engraçado que no show de sábado, eu não reconheci, de início, a música "Crença". Só depois de alguns minutos que a ficha caiu. E nesta mesma música, no show de domingo, me emocionou, mas segurei as lágrimas, mesmo passando um filme na minha cabeça. O mesmo aconteceu com Janaína na música "Beija-me", só que ela chorou durante a música. E entendo ela, porque o mesmo senti ao ouvir "Crença" e saber que ela pode voltar a ser executadas nas rádios, novamente.

Pela 1ª vez, uma música do CD de Netinho, "Clareou", entrou num disco ao vivo. A música é "Saia de Mim".

Além das músicas inéditas - ver os vídeos delas nos dez post's abaixo dedicados - outras músicas são essas: Pra Te Ter Aqui, Beija-me, Crença, Himalaia, A Vida é Festa, Saia de mim, Onde Você se Esconde, Paixão Não Tem Cura, Impossível, Muito Bom, Na Capoeira e Love of My Life (sempre cantada por Netinho nos shows, agora será parte do repetório oficial da discografia e/ou vídeografia).

Apesar de todo o cansaço, nessas duas noites de shows, houve muitos intervalos. Pés inchados, coluna dolorida, até estresse já estava rolando na platéia. Mas tudo isso, era possível acontecer.

Ambos os shows, começaram as 18h, mas o de domingo, demorou mais do que sábado, que contou com mais músicas. No domingo, não rolou "Apertadinho", "A Vida é Festa" e "Impossível".

Agora é o seguinte: quem esteve nesta gravação, está doido pra que este DVD saia logo. Agora quem não esteve, não sabe o que perdeu. Agora entendo a sensação quem esteve no DVD Por Inteiro.

Outro sonho realizado, foi poder ter estado dentro desta festa. Alías, nesses 20 anos de carreira de Netinho, só estou acompanhado-o há 15 anos. Só espero que tudo isso não acabe em 1 minuto, por conta de certas situações que de vez em quando, são própicias à acontecer, como aconteceu no final do 2º show.


FRUSTRAÇÃO:

Após terminado tudo e as pessoas já indo embora, a "Turma da Família Fuleiragem", de Maceió, como agora carinhosamente ficou conhecida a famíla de S. Teco, D. Marli e Adriana, incluindo a mim, Andrea Costa, Eduardo, Andrea Primo, Thati "índia", nós fomos até a entrada de acesso ao camarim, pois queríamos entregar uma lembrança nossa para Netinho, pessoalmente, além de poder parabenizar à todos da equipe olhando nos olhos de cada um, pois sabemos que este show, não foi simplesmente mais um show.

Gravação de DVD é um registro, portanto, se torna um show mais que especial. Deixamos de fazer isso na noite de sábado, e decidimos deixar pra domingo, até para deixar toda aquela concentração do show/gravação ficar mais afastado de todos. Já tínhamos até conversado com B2 na tarde de domingo, mas mesmo assim, não nos deixaram entrar.

Aposto que nenhum de nós queria particpar de festa particular de ninguém. todos nós já tínhamos horários de ter que viajar após o show. Todos os outros foram embora de Aracaju de madrugada, e eu ainda voltei para o "meu" hotel, a pé e sozinho, pela avenida.

Não tenho como não demonstrar aqui esta minha frustração, pois não foi só minha, mas todos do grupo, mesmo que não querendo demonstrar, ficaram. Marli decidiu entregar a lembrança numa outra oportunidade, nas mãos de Netinho, e eu faria o mesmo. Se fosse um outro show normal, a gente até deixava passar. Mas este foi um show mais que especial, pra todos, a sensação que tive nesta hora foi de uma flor que está sendo excluida de um jardim.


TEMPO:

Eu fiz um comentário que vou dar um tempo nos shows de Netinho, mas os de grande porte. Só que este ano, acho que para mais nenhum - vou ver se consigo. Jampa Indoor, nem pensar, mais.

Pra falar a verdade, este processo de "dar um tempo", já começou, desde minha última viagem ao Ceará, no início deste mês setembro. Sabía que Netinho estaria em Sobral, e ameacei ir bater lá. Mas desisti, pois não estava empolgado. Alí foi a 1ª vez que não tive vontade de pegar a estrada, mas estava com vontade de ir ao show. Preferi nem mesmo ir até ao aeroporto, para não cair em tentação.


AGRADECIMENTO:

Não posso deixar de agradecer aqui a...

D. VÂNIA, que foi bastante atenciosa comigo, que foi nos recepcionar lá no Hotel Jatobá, mesmo chegando igual comigo e meu pai. Ao pagar os R$: 50,00 do ingresso, ela se recusou a receber. Ela também queria bancar o hotel, mas foi convencida que desta vez, não precisaria.

D. Vãnia também estava com uma camisa piloto que ela iria encomendar pra fazer. Acabou que não ia da tempo de confeccionar tudo e ela desistiu. Ao ir pegar os abadás lá no HPC, colocamos tudo na sacola desta camisa, e ela esqueceu comigo. Ao ir devolver-la, ela me deu.

SILVANA, a querida amiga "Sil", lá de Bauru/SP: Comprei à ela, uma estrelinha que pisca, para a gente usar durante a execução da música "Pirata", que deve ter ficado lindo. O braço cansou, mas valeu a nossa participação.

Sil me fez duas surpresas: ganhei um potinho com seus biscoitinhos mágicos e também um chaveiro com uma foto minha com Netinho - show em Bonito/PE. Ao invés de dizer que vou deixar guardadinho, vou usá-lo como amoleto, junto com a estrelinha piscante.

Eu não tenho paciência de usar nada no pescoço, mas esta estrelinha, algo me diz que me trouxe uma boa energia.

JANA e GISELLE: Quem bom que pelo menos, no segundo show, ficamos juntos. Como sei que este blog poderá ser lido no feed no Facebook, gostaria de dizer que acabei nem me despedindo direito de vocês. Alías, de ninguém.


Bom, apesar de certas coisas, alegrias e tristezas andam juntas. Uma não vive sem a outra. Nos dias que fiquei lá em Aracaju, só fiquei mais entre o Hotel Jatobá e o HPC, sem ir à nenhum outro local. Aracaju agora, não sei quando.

9 comentários:

  1. Bruninho,
    Estava ansiosa pra ler seus comentários pq vc fala TUDO, não fica escondendo debaixo do tapete!
    Fiquei triste por esse episódio de ñ terem te ligado pra ir ao HPC, ñ custava nada, mas o pior mesmo q achei foi ñ terem autorizado a entrada d vcs no camarim no final do show! Q ABSURDO! De q adianta colocar no blog q agradece a todos q foram, e bla bla bla, e na hora H ñ ter essa consideração com quem viajou por horas, gastou com hospedagem, isso foi pra não atrasar a "festinha particular", poxa, q atrasasse em 1h não ia fazer diferença pra festa, mas pra os fãs faria toda a diferença! Sei q o show supera td isso, na hora nem lembramos, mas foi uma grande falha na minha opinião....Será q os artistas não entendem q o público deles e o sucesso vai além d meia duzia d fãs especiais? q tem acesso a td enqto outros nem pra ver no camarim e parabenizar pessoalmente podem? Lamentável essa atitude!
    bjs,

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Jane, mas quem nos barrou não foi quem a gente já costuma ver quando eles estão por aqui em Pernambuco ou Alagoas.

    Se fosse em qualquer outro tipo de show, como já aconteceu, a gente - falo pela turma - não ligamos, mas neste caso específico, com certeza, nós que estávamos em 9 pessoas ficamos sem graça. Nesta situação, a magia foi trincada para algumas pessoas.

    E outra: se mesmo tivessem nos chamado pra a "festinha", a gente não ia ficar, pois já tinha gente com hora marcada pra trabalhar na segunda feira, como houve pessoas que, além de ter faltado ou ter saído cedo do trabalho na 6ª-feira, para viajar, ainda chegaram atrasados ao emprego na 2ª.

    As pessoas que estavam comigo - as que poderiam terem me ligado para os encontrá-los no HPC - foram simbora após o show, viajando de madrugada. Já eu, ainda voltei pro hotel, pra viajar de manhã cedo.

    São tipos de situações que para alguns pode ser uma coisa, mas para outros, acaba se tornando em outras.

    Não vou mentir mesmo, eu me senti excluído.

    ResponderExcluir
  3. Imagino, Bruno! Afinal vc era um dos mais empolgados! Mas é aí onde entra o velho ditado: "O q não enfraquece, nos fortalece..."

    ResponderExcluir
  4. Bruno,

    Resolvi comentar porque me senti DIRETAMENTE incomodada.

    No trecho em quem você diz: "Soube de imediato, que antes deles irem ao hotel onde iriam passar as próximas 24h, todos foram até o Parque dos Coqueiros."

    Isso é MENTIRA. Não digo nem inverdade. É MENTIRA mesmo. Saímos de Maceió, paramos pra tomar café em Propriá e seguimos direto pra Aracaju.

    Chegando na cidade, só paramos num posto de gasolina para Seu Teco comprar cigarros. Posto que ficava no caminho pro hotel. Logo em seguida fomos DIRETO pro Jatobá. DIRETO.

    Roteiro: Maceió - Propriá - Aracaju - Posto de Gasolina - Hotel Jatobá.

    Depois de feito o check in, de ter recebido o abadá que vc pegou, e de ter entregue a camisa que havíamos feito, todos subimos, nos acomodamos. E aí sim, ALGUMAS pessoas do grupo foram COMPRAR INGRESSO pra uma pessoa que ainda não tinha. Daí pra frente não posso dizer nada, pois eu fui uma das que ficou no hotel.

    Então, por favor, mais cuidado com o que fala. Palavras machucam. Ainda mais não sendo verdade.

    Se tiver dúvidas quanto ao que eu falo, pergunte aos demais envolvidos.

    Thatianna

    ResponderExcluir
  5. Bruno esta acontecendo algum mal entendido na sua 1ª frustação.
    Em momento algum combinei com você horário de chegada em Aracajú, se você combinou com algum outro membro do grupo eu particularmente não fui informada. Saimos de Maceió assim que acordamos e só paramos em Propriá para tomarmos café, a segunda parada foi em um posto de gasolina para comprar cigarro para Teco.
    Assim que chegamos ao hotel no qual todos nós ficamos hospedados pedimos logo ao recepcionista para localizar vc, quando ele ainda estava acessando as informações vc chegou.
    Subimos todos na intenção de dar uma descansadinha no quarto. Logo depois a Marli me chamou para ir ao parque do coqueiros tentar comprar um abadá para a Renata que havia viajado de carona no carro deles, esta foi a hora que fomos até lá. Não fomos lá antes de nos hospedar, e ainda que tivessemos ido, não poderíamos adivinhar que vc estava a nossa espera.
    Fui eu, Marli, Teco, Eduardo, Priscila e Renata comprar o referido abadá e todo resto do grupo preferiu ficar descansando no quarto.
    Não costumo faltar com consideração a ninguêm. Em relação aos abadás vc também apanhou eles pq vc quiz não foi pedido a vc fazer isso, portanto agora não precisa ficar passando na cara.
    Gostaria de pedir a vc que sempre que houvesse algum mal entendido vc primeiro colocasse os pontos nos Ìs com as pessoas envolvidas antes de ficar defamando as mesmas.

    ResponderExcluir
  6. Thati e Andrea, é o seguinte: Há mal entendido em tudo sim e falta de comunicação.

    A interpretação que eu tive foi que todos já tinham ido antes ao HPC, devido à um comentário que ouvi. Posso até está me confundindo os horários e misturando as informações.

    Se foram ao HPC depois, poderiam ter me avisado que tinha ido junto ou ter ficado ciente que estavam saindo, com as pessoas que foram. Talvez foi neste intervalo que as coisas aconteceram e possivelmente interpretando tudo às avessas. Depois que todos se acomodaram, só nos reecontramos pra ir ao HPC.

    Eu fiquei horas esperando à todos, e ninguém entrou em contato comigo, nem pra me avisar se estavam próximos. Sobre parar no caminho, já desconfiava que iriam fazer. Cheguei à passar um torpedo no celular Oi da Andrea - não sei se ainda está com este número - as 9:20 perguntando onde vocês estavam e não tive resposta.

    Estava querendo que todos chegassem ao hotel, porque queriam fazer uma gravação - o que fui informado na noite anterior - com os fãs para o making of. De fato, não sei a hora que vocês partiram no sábado.

    Tive um momento que realmente eu fui até lá no hotel, pra ver se me passava a minha ansiedade esperando por vocês e distraía um pouco. Estava fazendo plantão na sacada do hotel, esperando-os. E com isso, na volta, vocês estivessem chegados.

    Eu tinha acabado de subir ao meu quarto, e assim que entrei, escutei a buzina do Eduardo. Desci correndo para recepcioná-los.

    Eu nem estou chamando ninguém de mentiroso, Thati. O que aconteceu, de fato foi falta de comunicação entre nós. É o que estou entendendo pela manifestação de vocês.

    Se estamos em turma, não sei porque um tem que passar por cima do outro, como ouvimos certos comentários que há pessoas que se acham, no domingo.



    Att, Jane Shmidt: aí estão as explicações de todos.

    ResponderExcluir
  7. Bruno,
    Pelo q eu entendi das meninas foi um grande mal-entendido, nada proposital, apenas falta d comunicação mesmo! Coisas q acontecem numa viagem, é cel q não pega, imprevistos mesmo, qto ao torpedo q vc mandou pela OI, eu tenho um OI e as vezes recebo torpedo com 24h d atraso...
    O q eu fiquei surpresa foi por não terem recebido vcs no camarim...poxa, vcs com presentes pra entregar e voltarem sem falar com Netinho...É frustrante...

    ResponderExcluir
  8. Bruno
    Existem pessoas que realmente se acham, mas graças a Deus existem as pessoas que se encontram.

    Não vou negar que o fato de não ter conseguido entregar a lembrança que levamos para o Netinho, me deixou um tanto decepcionada, mas ao mesmo tempo compreendo que: Não esperamos que a pessoa com quem tinhamos falado retornase com a resposta se ele iria nos receber ou não, a pressa em pegar a estrada e o cansaço era tamanho que recebemos o recado que foi enviado ao público em geral e fomos embora. Afinal nós tinhamos que estar em Recife na segunda às 8:00 e só chegamos ao meio dia.

    Que fique bem claro aqui que adoro netinho, que agradeço cada vez que ele nos recebeu seja no camarim, palco,trio, recepção de hotel e etc. E que para mim nada mudou, estarei no jampa se Deus quiser, pq ele e meu vício e não consigo dar tempo dele não.

    Espero que agora tenhamos conseguido colocar os pontinhos nos ís.

    ResponderExcluir
  9. Eu já não para o Jampa Indoor, não por causa desta nossa decepção ao final do 2º show. Aliás, como cada um de nós já sabíamos dos nossos estados físicos e psíquicos, não custava uns 5 minutos, só para entregar a camisa e uma foto em grupo. Como falei, este último show, foi o show mais aguardado por todos nós há quase 3 anos.

    Não vou ao Jampa Indoor por conta das contas. Isso já estava sendo analisado por mim, após a gravação do DVD, há meses. Mesmo que tivesse ocorrido no dia 31 de agosto, eu já tinha desistido.

    Tanto que no final de semana que Netinho esteve lá em Sobral/CE, e eu poderia muito bem ter ido até lá por ter ido, de urgência, à Fortaleza, não fui, por conta que eu teria mais gastos. Se não fossem umas compras feitas na Revista Seleções Reader's, com quem eu já gastei mais de R$ 1 mil, à toa, eu não tinha dúvidas que teria mantido esses dois eventos citados.

    Eu disse que não vou aos eventos de grande porte, por enquanto, por serem mais caros, mas "Cara a Cara" e os shows em trio, mantém. Viajar vou dá uma pausa. Tenho que descansar um pouco a imagem.

    Netinho é um "vício", e mesmo que ele seje para o lado do bem, também temos que dá uma moderada.

    ResponderExcluir